sábado, 27 de agosto de 2011

A pele

Com o tempo a gente vai percebendo as pessoas que realmente se importam com a gente, a ferradura queima a pele quando entendemos a palavra "decepção", mas não gosto de julgar as pessoas como "boas" ou "ruins". Cada um sabe de seus sentimentos e motivos. O gostar é um órgão traiçoeiro às vezes se encanta por um, às vezes se apaixona por outro, às vezes se perde na esquina. Perde e acha no espaço de tempo que determina a si. O corpo humano obedece, chora, ri, experimenta todas as sensações que vão dando gosto a pele. A pele que veste a roupa e desnuda se entrega. Amar não é o começo, não é o fim, não é o meio. Decepcionar-se não vem em pequenas doses e nem é o tipo de produto que você escolhe se quer consumir.

13 comentários:

  1. Nossa, que texto lindo. Você sabe como usar as palavras, tem talento. Amei demais o texto.
    http://lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Ah, adorei esse texto também! Ficou super lindo, está de parabéns :D

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto....vou recomendar teu blog!!!

    ResponderExcluir
  4. Toda imperfeição é perfeita, sem mais.

    ResponderExcluir
  5. Belas palavras.
    A decepção, nos ajuda a crescer...

    ResponderExcluir
  6. Muito bonito, como todos os outros textos. Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. A gente só se decepciona com pessoas que gostamos muito e confiamos por isso doi tanto

    ResponderExcluir
  8. Sua linda! Eu também adoro o seu blog :D Mesmo, mesmo! IHSAUIHSAUSHASHAU Aqui é tudo lindo e fofinho *-*

    ResponderExcluir
  9. Adorei o seu texto!
    Decepção palavra que destroi qualquer amizade!
    bjs

    http://rodrigobandasoficial.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Belo teeeeeexto, tudo o que você escreveu é a mais pura verdade *-*
    Os outros posts também estão dahora. Adorei o estilo do teu blog, eu também sou apaixonada por fotografia :)
    Estou te seguindo!
    beijos
    http://refugiopcional.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Sempre achei que eu fosse propensa a conhecer, apenas, pessoas cretinas...
    Com o acúmulo de decepções, fui aprendendo a me "privar", a me preservar e a me "fechar" para tudo e todos.

    Até que, com a tão aclamada "maturidade", fui aprendendo a separar as coisas. A ser mais tolerável, mais compreensiva e a respeitar minhas necessidades; fui aprendendo a parar de julgar todo mundo de forma igual, por meia dúzia de gente babaca.

    Lindo texto...

    Lindo blog...

    Parabéns! =)
    -
    http://quandotahescuro.blogspot.com/

    Abraços

    ResponderExcluir